assine

Newsletter

29 12

7 motivos dos latidos de cães

Publicado em 29 de Dec de 2014 por Marília Alencar Comentar

Uma bronca nunca vai resolver o problema. O dono deve descobrir o motivo que leva o cão a ter esse comportamento. Descubra 7 causas dos latidos de cães

Texto Jaqueline Lasko/ Foto: Reprodução/ Pinterest Dogs

(Foto: Reprodução/ Pinterest Dogs)

1) Cão que late quando recebe ordem

Você fala não, o cão late, você fala sim, o cão late também! Temos aí um cãozinho um tanto quanto dominador. Daniela Prado, do LordCão – Treinamento de Cães, no Rio de Janeiro-RJ, explica que nestas situações o cão sempre vai querer dar a última palavra e, por isso, ele sempre vai tentar afrontá-lo: “Enquanto você não mostrar quem manda e ter o controle da situação nas tuas mãos ele não vai te obedecer.” Para quem sofre com esse comportamento do pet, reforçar a hierarquia sobre a hora que o bicho vai comer, não deixar ele puxar a coleira na hora do passeio e controlar a situação de forma que ele te respeite, tende a melhorar a sequência de latidos.

2) Cão que late para “conversar” com o dono

Cães que costumam latir como se estivessem “falando com o dono”, normalmente adquiriram esse comportamento porque alguém os ensinou. Pink Christina, uma Cocker Spaniel Inglês de 12 anos, é um exemplo. Sua dona, a professora de danças árabes Andrea Arlete Ferreira, São Paulo-SP, de 42 anos, conta que seu irmão e avó ensinaram Pink desde filhote a conversar com as pessoas como uma forma de brincadeira: “É só parar do lado dela e começar a latir e uivar continuamente que ela começa a sinfonia dos latidos”, revela. “Esse comportamento funciona como um momento de diversão para o animal”, explica Daniela.

Mas na opinião de André Almeida, adestrador comportamental, de São Paulo-SP, o dono cria um péssimo hábito quando ensina o animal a latir porque ele aprende que só assim vai ganhar atenção: “Cães não conversam por latidos e isso não os tornam mais felizes, mas sim, mais ansiosos. Dar carinho e atenção é mais eficaz do que ensinar o bicho a vocalizar!”, complementa.

3) Cão que uiva a noite

Quem nunca escutou um uivado no meio da noite? Ao contrário do que muitos pensam o uivo não é um choro e nem significa que o cão está uivando para a Lua. Daniela conta que, segundo lendas, os cães uivam para testar se a vizinhança canina responde. André complementa dizendo que esta é a forma de comunicação à distância herdada por seus ancestrais, os lobos.

Os uivos podem alcançar grandes distâncias e variam em tom e intensidade de acordo com a mensagem que querem passar. Já no caso dos filhotinhos, o uivo é um comunicado de medo, porque ele ainda se sente meio perdido por estar longe da mãe e dos irmãos. Em cães adultos, os motivos dos uivos variam sendo que os mais comuns são fêmeas no cio na vizinhança e solidão por longos períodos. Para esse último caso, André dá a dica: “faça exercícios com o cão durante o dia, e canse-o, para que não tenha pique de latir à noite.”

4) Cão que late para alarmar

Este caso é bem parecido com o da campainha, a diferença é que, normalmente, quando o dono vê que tem alguém por perto, o animal tende a parar de latir. “Cães que latem e escondem o rabo querem dizer que ele vai chamar o dono e que é bom o ‘intruso’ não entrar porque já tem gente vindo atendê-lo”, explica André. Os cachorros que são condicionados a serem de alarme se comportarão sempre dessa maneira, mas ele deve ser treinado para tal função. No caso de cães que latem descontroladamente sem terem sido adestrados para isso, eles podem se tornar agressivos ou até muito medrosos. Daniela, então, dá a solução: “Se você ensinar o animal uma palavra que dê conforto a ele, como ‘Já vou’, ele sentirá que seu trabalho foi feito, porque ele reconheceu alguém na porta, e parará de latir.”

5) Os latidos também podem indicar doenças

Outros dois fatores que podem contribuir para os latidos incansáveis do animal são a genética e ainda problemas físicos. No primeiro caso, o cruzamento entre bichos mais agitados e ansiosos resulta em filhotes com esse mesmo temperamento. Já na segunda situação, o animal pode latir demasiadamente porque está sofrendo com algum problema físico, se sente incomodado e avisa que precisa da sua ajuda. Infelizmente, não conseguiremos trazer o silêncio absoluto entre os cães, mas você pode aprender alguns truques que prometem acabar com a gritaria em diferentes casos de latidos.

6) Tudo pra chamar atenção

Um dia você estava vendo TV e seu pet subiu no seu colo. Você fez um agrado e ele gostou. A atitude se repetiu por diversas vezes até que isso se tornou um hábito. Pronto! É o suficiente para ele aprender que, sempre que você não estiver fazendo nada, ele vai receber atenção. Na opinião de Almeida, esse comportamento se explicapela falta de sociabilização do cão associada à falta de liderança do dono: “Provavelmente o bicho não tem atenção em outros horários e sabe que aquele momento é o melhor para ir lá buscar por ela.”

7) Latição nos passeios

Cães que não têm o hábito de passear muito tendem a latir mais nas horas de lazer. Almeida indica que a falta de sociabilização do bicho, tanto com outros animais como com pessoas ou bicicletas, por exemplo, é a principal culpada nesses casos: “Para o animal aquele território é imenso e novo, com diversos invasores. Além disso, deve-se considerar que o pet conseguiria andar muito mais que o tempo do passeio. Assim, essa hora é a melhor para ele, por isso quer fazer tudo o que não pode enquanto está preso.”

Revista Meu Pet/ Edição 04

Comente!